1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

ADRIANA CARRANCA é repórter especial do Estadão. Escreve principalmente sobre conflitos, religião e direitos humanos, com olhar especial para a condição das mulheres. Fez coberturas no Afeganistão, Paquistão, Irã, Israel, territórios palestinos, Egito, Indonésia, República Democrática do Congo, Haiti, entre muitos outros. Seus artigos foram publicados em revistas internacionais como a americana Foreign Policy e a edição francesa da Slate. No Brasil, é autora de O Afeganistão depois do Talibã (ed. Civilização Brasileira) e O Irã sob o Chador (ed. Globo). Ganhou prêmios de reportagem, entre os quais o Grande Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo, com uma coletânea sobre a guerra no Afeganistão, e cinco edições do Prêmio Estado de Jornalismo.
segunda-feira 10/02/14

Do front do Afeganistão: dois livros para entender a mais longa guerra dos EUA, que chega ao fim este ano

Ahmed1

Este ano marca o fim da guerra no Afeganistão, com a retirada das tropas americanas de combate até dezembro. Em seu mais recente livro, Little America – The War within the War for Afghanistan (ainda sem tradução), o correspondente do Washington Post para o Sudeste da Ásia por mais de uma década, Ravij Chandrasekaran, explica

Ler post
segunda-feira 03/02/14

Do front do estado americano do Kansas: o personagem que deu a Philip Seymour Hoffman o Oscar de melhor ator

Sangue frio

Uma entre as muitas performances brilhantes do ator Philip Seymour Hoffman, encontrado morto ontem em seu apartamento em Nova York, foi a adaptação para o cinema da vida do jornalista Truman Capote, precursor do chamado New Journalism e da literatura de não-ficção. Ele ficou conhecido pelo clássico A Sangue Frio. A atuação de Hoffman lhe

Ler post
sexta-feira 31/01/14

Do front do século 20: o legado de Don McCullin, um dos maiores fotógrafos de guerra da história

mcc_hue_pict

Don McCullin é um dos maiores e mais premiados fotógrafos de guerra da história. Saiu do então empobrecido bairro de Finsbury Park, no norte de Londres, para registrar os principais acontecimentos do século 20, da guerra no Vietnã aos campos de batalha em Chipre, Congo, Biafra, Camboja, Bangladesh, El Salvador, Líbano. Nesse depoimento comovente, McCullin

Ler post
terça-feira 28/01/14

Por que China e não Cuba?

China

Deixemos de lado a retórica antiamericana dos governos de esquerda na América Latina – ou nem tão de esquerda assim, como disse em entrevista recente Jon Lee Anderson, biógrafo de Che Guevara, que os classificou como “um bando de superficiais” – e o discurso da presidente Dilma Rousseff em repúdio ao embargo econômico americano contra Cuba, ontem, durante cerimônia

Ler post
sexta-feira 24/01/14

Do front da guerra no Afeganistão: um amargo déjà vu

AFGHANISTAN-superJumbo

A sensação é de um amargo déjà vu. A informação começa a aparecer, em pedaços, nas redes sociais. Procuro as páginas de colegas que podem estar no local dos acontecimentos. Será? Outro? De novo? Recebo sms, emails, mensagens de chat. “Você viu?” Há chamadas perdidas no meu celular. Minha mãe telefona: “Você conhecia esse restaurante?” Sim,

Ler post
segunda-feira 20/01/14

Do front da notícia: um jornalista em terreno minado

Capa_Trezzi

Muitos estudantes de jornalismo me falam sobre o sonho de se tornar correspondentes de guerra. Pedem sugestões de como driblar os perigos do Afeganistão dos talebans, entrar na Síria assolada pela guerra, circular pelos atalhos de terra apinhados de rebeldes no leste da República Democrática do Congo, viabilizar uma viagem ao Irã dos aiatolás. Torturam-se

Ler post