ir para o conteúdo
 • 

A Educação no Século 21

25.março.2013 22:07:58

O Prof. Capitalismo e o poder da Educação Informal

Como absorvemos e perdemos conhecimento ao longo do tempo? E como este conhecimento é transferido entre grupos de pessoas durante seu desenvolvimento profissional?

A educação informal ganha cada vez mais protagonismo num mundo em crescente integração social. E quem diria… o capitalismo tem sido o grande responsável por essa integração a nível global.

A tal globalização, que eu prefiro identificar como “a grande transformação” (consultar conceito aqui), está promovendo o nascimento de inúmeras iniciativas públicas e empresariais voltadas ao ensino e à capacitação profissional em grande escala.

A origem dessa onda educacional está na crescente procura por todos os tipos de organizações humanas em serem mais inovadoras e mais eficientes. Empresas e órgãos públicos estão preocupados em saber mais sobre formas de transferir conhecimento e a educação como um todo será indiretamente e positivamente impactada pela melhora desta capacidade humana.

A concorrência empresarial, essa verdadeira guerra do século XXI, travada cada vez mais nos mercados e nos bastidores da política e cada vez menos nos tradicionais e sangrentos campos de batalha está fazendo boa parte do mundo repensar o processo de transferência de conhecimento.

Socialistas, nacionalistas e religiosos, bem intencionados ou não, levaram décadas querendo salvar o povo através de uma emancipação intelectual ou conscientização coletiva inalcançável.

Infelizmente, essa emancipação e essa conscientização foram e continuam sendo inalcançáveis, não apenas pelo grande desafio político e ideológico encontrado nos programas e nas infraestruturas educacionais existentes, mas principalmente pelo desafio técnico em fazê-lo.

Mas diferentemente do que poderíamos esperar, penso que ainda não será a educação formal a grande beneficiada por este crescente movimento. Nos últimos anos, tive o prazer de encontrar o Prof. Charles Jennings em eventos relacionados à transmissão de conhecimento e à educação a distancia.

Hoje quero compartilhar com vocês um conceito defendido por ele já há alguns anos. O conceito não foi criado por ele e tampouco foi fruto de rigorosas pesquisas acadêmicas (ainda), sendo por enquanto apenas o fruto da observação prática durante o treinamento profissional de pessoas em diversas organizações de todo o mundo. Chama-se Aprendizado 70:20:10.

O Aprendizado 70:20:10 baseia-se na ideia de que 70% do que as pessoas aprendem a fazer bem em suas vidas profissionais, advém do que elas aprendem durante a execução prática de uma ou mais tarefas, 20% advém de conversas com outras pessoas no ambiente de trabalho e apenas 10% advém do aprendizado formal, ou seja, em salas de aula e cursos formais sobre assuntos relacionados ao trabalho ou às tarefas a serem realizadas. O principal problema com o aprendizado formal é que o esquecemos facilmente.

Hermann Ebbinghaus

Hermann Ebbinghaus (1850-1909), pioneiro estudioso da memória humana.

Atualmente, este conceito tem sido usado por diversas organizações visando aumentar a velocidade na qual seus funcionários aprendem a realizar novas tarefas.

Parece ser que este poder, o da transmissão informal de conhecimento, está combinando muito bem com a magnitude do alcance das novas tecnologias de comunicação, indicando um próspero futuro para a nossa capacidade de resolver diversos tipos de problemas que hoje afligem nossa espécie e nosso planeta.

O vídeo abaixo, em inglês, explica melhor o conceito:

***

Para mais info (em inglês):
Meu Twitter (education): @neweduca
Meu Twitter (emerging economies): @emergeconomies
Meu Facebook: https://www.facebook.com/newton.campos.phd
Minha Home Page: http://www.newtoncampos.com

comentários (6) | comente

  • A + A -
6 Comentários Comente também
  • 30/03/2013 - 20:38
    Enviado por: Olmir

    Como poderiamos situar especialmente os brasileiros, por exemplo até recentemete éra muito comum se estudar, especializar, se qualificações, pior sem conseguir retorno do investimento,o fator trabalho a atividade quando na função de empregado, isto quando falavamos a respeito de se fazer tudo na iniciativa privada, custear os estudos, de modo sintético de dizer o empresariado não remunerava de maneira adequada os seus funcionários, mas ai entre outro pontos de vistas e senãos até o de trabalhadores que apesar e por tudo que até percebiam valores maiores que os de merecimento, por razões variadas, desde a falta de ambiente de trabalho adequado até os que sequer se prestam para a função,mas existe, persiste ainda diversos lados e ou ponto desse tipo de história quando fazer uso de recursos públicos, escolas faculdades,… pagas com recursos de impostos, ai tambem temos variedade, o comum é dizerem que os brasileiros não posuem formação, mas existem muitos que até se formam e ou iniciam até varios desses cursos, e sequer fazer fazem o uso profissíonal, de coisa que custou enormidade de recursos públicos, e ou mesmo até impediram que outras pessoas tivessem a formação pudessem exercer a profissão, mas poderiam dizer que existem até os que mesmo tendo recursos financeiros e ou até por isso conseguem as oportunidades em cursos e formações custadas por recursos públicos, e nem por isso usam e o fazer uso profissional da formação recebida, ou seja não existe uma ficalização e ou obrigação de contrapartida, assim como poderiamos dizer que nem os custos de tais formações feitas com recursos públicos são os ideais e ou que até poderiam custar muito menos e ou os “professores”dessas instituições recebem o salário justo e correto, e se tratando de Brasil quase tudo é meia verdade e ou meia mentira e pior depende muito do ponto de vista e ou o interesse em jogo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/04/2013 - 17:45
    Enviado por: Benedicto Dutra

    Concordo com aprendizado descrito na forma 70:20:10 – no entanto, para o bom êxito precisamos de bom senso, raciocínio lúcido, pensamento simples, claro e natural, domínio do idioma. Isso deveria ser aprendido desde cedo em casa e na escola.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/04/2013 - 14:40
    Enviado por: Suellen - Livraria do Médico

    Interessante!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/04/2013 - 09:37
    Enviado por: Cláudia

    Conscientização coletiva inalcançável por quê? Será que uma conscientização coletiva não teria evitado a crise? Pois se as pessoas tivessem consciência do papel dos bancos e das corporações provavelmente teriam uma relação muito mais prudente com esses atores.
    E desde quando informação funcional pode merecer status de conhecimento? Informação funcional é meramente o que vc usa nas suas 8 diárias de trabalho. Ponto. Os engenheiros demitidos da Embraer têm uma puxa dificuldade de se localizar no mercado exatamente por causa do nível de especificidade da informação funcional deles, vendida equivocadamente como conhecimento. Não confunda conhecimento com teoria à prática. O que vc usa no seu trabalho não lhe fornece luz para o seu dia-a-dia.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 12/04/2013 - 21:31
      Enviado por: Newton Campos

      Olá Claudia,

      Obrigado pela mensagem. É possível que eu tenha misturado um pouco em demasia os temas abordados por este texto: Capitalismo? Educação e emancipação intelectual? Treinamento funcional?

      Que relação existe entre coisas aparentemente tão diferentes? Ora, se vivemos em sociedades crescentemente capitalistas (por opção ou falta dela), nossa realidade estará crescentemente condicionada à nossa capacidade de produzir e gerar valor para terceiros.

      Assim, cada vez mais, estaremos direta ou indiretamente conectados ao desenvolvimento de organizações com objetivo de lucro. Em prol da eficiência, até as ONG’s (teoricamente sem objetivo de lucro) tentam operar hoje em dia “à imagem e semelhança” das organizações lucrativas.

      Por outro lado, o lema “trabalhe no que gosta e não terá que trabalhar”, atribuído ao filósofo chinês Confúcio que viveu há mais de 2 mil anos, vem se tornando lugar comum nas sessões de orientação profissional.

      As empresas mais modernas não nos treinam mais apenas para nosso desenvolvimento técnico. Pesquisas demonstram que em muitos países o salário não reponde nem por 30% da motivação para realizar um determinado trabalho. Muitas empresas já descobriram isso e estão recorrendo a novas formas de motivação que incluem aprendizados diferenciados.

      Passamos muito tempo no trabalho, dedicamos as melhores horas de nossos dias a ele. Sinto que cada vez queremos mais retorno em troca deste tempo precioso. E este retorno não precisa ser apenas pecuniário.

      Cordialmente,

      Newton

      responder este comentário denunciar abuso
  • 19/05/2013 - 00:12
    Enviado por: A. Couto de Andrade

    É a primeira vez que tomo conhecimento de forma específica e sistemática dessa visão educacional. N o entanto, estou sumamente admirado com a vivência do Kaxambah que busco passar um pouco com o livro Kaxambah, O Caminheiro dos Pés Suaves http://www.kaxambah.blogspot.com que renomada Pedagoga Prª Ely Paschoalik recomenda a leitura na sua página do Facebook, reproduzindo pequeno trecho, e externou pessoalmente que “é tudo o que pesava e queria para a educação”. Não tem nada de academicismo, de sistematização mas é algo real que aconteceu numa Escola Rural do Município de Uberlândia, no ano Escolar de 1958.O livro sobre a experiência proporcionada pelo personagem Kaxambah foi escrito em 1986. No ano anterior a Cia. Editora Nacional -São Paulo- havia editado dois livros meus: Constituinte, Assembléia Permanente do Povo.n° 1, da coleção PortasAbertas e Eleições Direta, da Coleção PasseLivre. Só liberei o livro para publicação na Internet, quase 25 anos depois. Grado. Couto.

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Newton Campos

    Com 20 anos de experiência nas áreas de tecnologia e educação superior, participou de numerosos projetos em distintos países. Atualmente leciona e trabalha na IE Business School da Espanha, com profissionais que criaram alguns dos melhores programas de pós-graduação em formato blended do mundo. Doutor em Criação e Gestão de Negócios pela FGV-SP, passou por organizações como PricewaterhouseCoopers, Telefónica e IIM Indian Institute of Management, além de ter participado na criação de diversas empresas no Brasil entre 1997 e 2010.

Comentários recentes

  • Geison Santos: Há 10, 15, ou até mesmo 20 anos atrás o diploma sempre teve o seu valor e era bem valorizado, não...
  • Carlos Grieco: Caro João, Obrigado pelo seu comentário. São perguntas extremamente relevantes e compatíveis com a...
  • João Carlos Agostini: Olá Parece uma ótima iniciativa, mas a matéria só teve de conteúdo a eterna crítica aos...
  • Só um porém: Avanço tecnológico favorece preguiça mental, diz autor de “Mentes Brilhantes”...
  • Isabel Schmidt: Concordo com Samuel Alencar, aulas de formas variadas e dinâmicas contribuiriam para solucionar o...

Arquivo

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo